Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2014

Passos dos Jesuítas: 12º dia

Imagem
  17/01/2014- São Sebastião-IlhaBela-Caraguatatuba
    Mesmo dormindo dentro da lanchonete do posto de gasolina, os pernilongos atacaram de novo. Não teve jeito: tive que montar a barraca para não ficar anêmico no dia seguinte.
    Acordei muito bem animado e comecei a caminhada por volta das oito da manhã, refletindo sobre como as pessoas mais humildes são geralmente mais generosas. Enquanto o seu Adão confiou em mim, deixando-me dormir dentro da lanchonete, o pessoal do condomínio Riviera não permitiu nem que eu usufruísse da sombra de uma árvore durante o almoço.
    Depois do temporal de ontem, o dia amanheceu com poucas nuvens no céu, mas a temperatura estava ótima para se caminhar. Rapidamente cheguei a praia de Boiçucanga( parece nome de cidade de novela). Encontrei uma ótima lan house, pc bom e internet rápida, só o preço que estava meio salgado: quatro reais a hora! Aproveitei também para almoçar, apesar de não estar com muita fome. Não tinha muita noção do que vinha pela frente…

Passos dos Jesuítas: 11º dia

Imagem
16/01/2014-quinta-feira- Bertioga-São Sebastião

    Ontem fiquei curtindo o lindo pôr do sol na praia de Itaguai ,até escurecer por completo, quando os pernilongos começaram o ataque. Corri para a barraca, e, depois de matar uns três que conseguiram entrar comigo, fui tentar dormir, mas em vão. O calor não deixou e não tinha como deixar a barraca aberta. A areia da praia também estava bastante compactada, deixando o solo duro e, para ajudar, o meu colchonete não é dos mais grossos. Resultado: acordei um caco, mais cansado do que quando fui dormir.
    O nascer do sol nesta praia é sem palavras, só vendo mesmo. Aliás, todo nascer do sol na praia é bonito. Essa praia é maneira, não tem infraestrutura, só alguns barzinhos e algumas casas que oferecem uma ducha. Pechinchando, consegui que a ducha saísse por três reais. Se alguém me pede uma prova da existência de Deus, peço a essa pessoas que veja e sinta um nascer do sol.

    De manhã, na praia de Itaguai não tem pernilongos, mas tem outros…

Passos dos Jesuítas: 10º dia

Imagem
15/01/2014-Bertioga-São Sebastião

    A noite foi muito tranquila no albergue. Poucas pessoas, creio que uns sete caras estão morando ali para tentar se livrar do vício do álcool e outras drogas.
    Deu para dormir bem e renovar as energias para mais um dia de caminhada. Noite fresca, apesar do telhado de amianto do albergue, que é dividido em dois grandes galpões. No primeira, fica a recepção, a secretaria e a sala de TV. Já no segundo galpão ficam os dormitórios, a cozinha, a lavanderia e o banheiro para se tomar um "chuá". (banho, na gíria do pessoal dos albergues noturnos).
    Fui acordado às seis e meia para tomar um cafezinho com dois deliciosos pães com manteiga. Às oito e meia já estou na BR que liga os municípios de Bertioga e São Sebastião. São 100km de asfalto e em albergues. Não tenho muita certeza se encontrarei um bom local para dormir, talvez consiga montar a barraca em algum posto de gasolina pelo caminho. A moleza acabou...

    Resolvo não seguir fielmente os …

Passos dos Jesuítas: 9° dia

Imagem
14/11/2014-terça feira-Santos-Guarujá-Bertioga     Último dia no abrigo de Santos. Sou o último a tomar o café da manhã. Queria sair por último para evitar as despedidas, já que fiz boas amizades por lá, e, como já disse, não gosto muito dessas situações.
    Céu sem nuvens, presságio de mais um dia calorento no litoral paulista. Aliás, faz calor em Santos até com o céu nublado nessa época. Depois do café, parti para o litoral de Santos, mas antes comi um brigadeirão de chocolate, não pude resistir a essa tentação ao vê-la no balcão do restaurante próximo do abrigo.

    Sei que não posso misturar café com chocolate, fico meio agitado e ansioso. Isso fez com que eu errasse o caminho e pegasse a balsa errada para o Guarujá. Esse tipo de transporte é gratuito de Santos para Guarujá, mas o inverso já é cobrado. Somente este ano é que fiquei sabendo que Santos é uma ilha. É que eu não era muito fã das aulas de geografia.
   Somente quando desembarquei no Guarujá é que fiquei sabendo que estava…

Passos dos Jesuítas: 8° dia

Imagem
13/01/2014-segunda feira-Santos     Finalmente pude lavar minhas roupas. O tempo está nublado, o que me deixa preocupado para prosseguir a viagem para o Guarujá. Um cara do abrigo me arrumou cardaços de tênis para improvisar uma capa de plástico para a mochila. Irei voltar a caminhar faça chuva ou faça sol, amanhã de manhã.
    Não consegui dormir direito esta noite. Muito calor e pernilongos. De madrugada o cara com a camisa da Ponte Preta deitou no chão ao lado de minha cama e logo depois soltou um gás violentíssimo, deixando o quarto com um cheiro nada agradável. Não gosto de brigas, mas disse educadamente para ele que, se soltasse mais um daqueles perto de mim poderia arrumar uma grande confusão para ele.
    Não fiz nada hoje, além de lavar minhas roupas. Ora ficava na praça da catedral, ora ficava debaixo de alguma marquise para me abrigar da chuva. Mas amanhã tudo continua novamente.

Passos dos Jesuítas: sexto dia

Imagem
12/11/2014-domingo-Santos
    Choveu forte de madrugada. Em alguns pontos do albergue tinha algumas goteiras. Na parte da manhã chovia, mas não com tanta intensidade.
    Depois do café caminhei até uma marquise e me sentei para escutar música e deixar o tempo passar, a única coisa que eu poderia fazer naquele domingo cinzento. Nenhuma lan house aberta, o centro histórico parecia uma cidade fantasma na parte da manhã.
    No bar da esquina um cara sem camisa me convida a tomar uma cachaça. Agradeci e fiquei até feliz por alguém ter me convidado para alguma coisa, mesmo sendo algo que não gosto muito. Ou será que o cara estava querendo me embebedar para me levar para "as quebrada"(estou aprendendo as gírias da galera...) e roubar as minhas coisas que estão na mochila?
    Logo em frente, o motel Emoções. Carros luxuosos saiam constantemente da garagem. Janelas escuras, mas provavelmente são casais que passaram uma noite de amor no estabelecimento. E eu aqui, nesta solidão... snif…

Passos dos Jesuítas: quinto dia

Imagem
11/01/2014- sábado- Santos
    Fomos acordados exatamente às seis da manhã. Ainda estava escuro, mas pior era acordar ás cinco no abrigo em BH. Ficamos no pátio até às sete e meia esperando o café da manhã: toddy com pão, que estava novinho.      O abrigo de Santos não é muito grande, deve comportar umas 40 pessoas. Instalações e móveis antigos, mas tudo era muito limpo, inclusive os banheiros. Do lado de fora tem a aparência de um presídio, com suas portas de grade de ferro sem pintura.      O abrigo até que não estava lotado, tinha uns 15 caras e três mulheres. Tinha uns seis idosos, uns quatro caras de uns trinta anos que trabalham com serviço de carga e descarga, um cabeludo que parece um guitarrista de banda de heavy metal, e um esquizofrênico, além de mim. No início pensei que o cara estava orando em voz alta, mas na verdade estava falando sozinho. Tive a certeza que ele era esquizofrênico quando olhou para mim. O olhar do esquizofrênico é diferente, é bem direto nos olhos. Hoje em…

Passos dos Jesuítas: 4º dia

Imagem
10/01/2014 sexta feira- Mongaguá-Santos
    Não deu para montar a barraca perto do batalhão de polícia. Uma viatura se aproximou de mim enquanto a montava e os guardas me avisaram que era proibido montar barracas no local, por ser uma área militar. Eles falaram comigo em um tom mais informal mesmo. A polícia mineira, principalmente da capital, é um pouco mais formal, séria, eles cumprimentam a pessoa, se apresentam e depois começam a conversar.
    Já perdi o receio da polícia paulista. Alguns trecheiros que passaram pelo abrigo em BH falaram muito mal da polícia paulista. Disseram que os caras já chegam batendo sem dó nem piedade. Mas não foi isso  o que pude perceber nesses dias que estou no litoral paulista. Em Itanhaém os caras do corpo de bombeiros queriam até pagar a minha passagem para Ubatuba. Já de noite, dois policiais conversaram comigo por um bom tempo, me dando dicas do caminho e até me arrumaram um lanche. Com certeza os caras que falaram mal da polícia aprontaram alguma n…

Passos dos Jesuítas: 3º dia

Imagem
09/01/2014-quinta feira Itanhaém - Mongaguá 
     Ontem só foi possível montar a barraca por volta das dez horas da noite, quando o movimento na praia diminuiu bastante. Tinha uns caras que jogaram bola por três horas seguidas!
    Assim que montei a minha humilde residência, apareceram dois policiais e começamos a conversar. Os caras foram super gente boa comigo e até me ofereceram um lanche e depois me deram dicas sobre o caminho. Me disseram que eu era muito corajoso por percorrê-lo sozinho e me aconselharam a evitar a cidade de Praia Grande, por estar cheia de noiados na orla. Vou seguir esse conselho, pois estou cansado de ver as confusões que as drogas  traz em seu entorno.
    Por volta das três horas da madrugada, ouvi barulhos, parecidos com pequenas pedras sendo jogadas na barraca. Fiquei em estado de alerta, e logo vi um clarão do lado de fora, atrás da barraca. Abri rapidamente a entrada e vi duas sacolas de supermercado pegando fogo. Felizmente elas não atingiram a barraca, …