segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Papai noel baixou em mim


     Então é natal. Época de reflexões para alguns, e muita comilança e bebedeira para outros. Para muitos é época de tristeza e muita deprê. Para mim é um dia como qualquer outro. Hoje em dia, talvez por causa do embotamento afetivo e outros sintomas negativos da esquizofrenia, já não fico deprimido nessa época. Mas fico um pouco de saco cheio com essas confraternizações temporárias, me soa meio falsa essas mudanças de atitudes e comportamentos por causa de uma simples data, que, como a maioria já sabe, foi inventada pela igreja cristã para também ter uma festa de fim de ano, já que as religiões pagãs da época tinham suas festividades para comemorar o fim da colheita e outras coisas mais.

    Não aguento ver os programas da TV, os especiais de fim de ano(menos o do Roberto Carlos). Aquelas músicas natalinas na harpa paraguaia são difíceis de aguentar. Até a música da Simone foi proibida de tocar em alguns shoppings. No início achei estranho, a música tem uma boa mensagem, mas, me colocando no lugar dos vendedores dos shoppings, realmente é difícil ficar ouvindo a mesma música o dia inteirinho durante um mês.
    Quando criança passa o natal na casa de parentes. Ficava a noite toda sentado no sofá, meio sem graça. Os amigos de minha avó chegavam a comentar:
    - Nossa! Parabéns, seu neto se comporta muito bem!
    A verdade é que eu estava entediado, isso sim, doido para que a festa acabasse.
    Mas guardo uma lembrança curiosa de um natal, acho de 1997. Estava na época trabalhando em uma pequena cidade do interior de Minas Gerais e naquele ano tive que trabalhar em pleno dia 24 de dezembro. Para mim foi uma boa, gostava muito do que fazia, trabalhando como operador de som nas festas, shows, cavalgadas, etc. O dono da firma me incumbiu de receber o pagamento do serviço no final da festa.
    Na viagem de ida para a cidade de Governador Valadares paguei rodízio para toda a equipe, não me importava muito com dinheiro naquela época. E o fato de proporcionar um rango legal para a galera me deixava feliz.
    Já à noite a gororoba foi meio esquisita: por volta da meia noite o organizador do evento apareceu com uma panela de arroz frio com alguns pedaços de pernil que, provavelmente sobraram da ceia natalina de sua família. A galera chiou e o cara teve que comprara alguns hamburguers para matar a fome do pessoal.
Valadares é famosa pelo pico do Ibituruna, onde se pode saltar de asa delta

    A festa foi legal, com boas bandas de rock, principalmente o cover do Rolling Stones. O lugar, uma antiga açucareira desativada e cheia de cupins, estava abarrotada de gente. Muita mulher bonita, Valadares é uma cidade onde até as feias são bonitas.
    No final do evento recebi o pagamento. Não sei o que deu em mim, ao ver a galera carregando as caixas de som. Os caras podiam estar em suas casas com suas famílias, mas não, estavam trabalhando naquele serviço meio sofrido. Resolvi dar cinquenta reais para cada um que estava ralando naquele dia, como compensação de estar trabalhando naquela data.
    No dia seguinte o negócio ficou tenso na firma. O dono, ao receber a grana, me perguntou:
    - Cadê o resto do dinheiro?
    - Dei cinquenta reais para todo mundo.- respondi.
    -Mas por que?- ele perguntou, sem demonstrar muita surpresa, provavelmente já sabia da minha maluquice.
    - Ah! Foi o espírito de papai noel que baixou em mim ué!
    O dono da firma não pensou duas vezes em me mandar embora, é claro. Não voltei atrás na minha decisão e não pedi a grana de volta para os meus colegas de trabalho. Deu, tá dado. E não me arrependo do meu gesto, apesar do dinheiro não ser meu. Acho que faltou um pouquinho de compaixão do dono da firma, que tinha que fazer pelo menos um "agradozinho" para seus funcionários que trabalharam em uma data "tão importante". (para o comércio né?).
    E, para você, o que é o natal? Comente, opine e  não deixe de votar na enquete, que vai estar no lado direito do blog este mês.

9 comentários:

  1. Eu estou me perguntando aqui quantas pessoas estavam trabalhando no Natal. "Espírito de Papai Noel" é ótimo!

    ResponderExcluir
  2. Natal pra mim é um tanto quanto melancólico. Sempre foi , na verdade . Mas ainda assim acho válido para lembrar Jesus ( mesmo sendo data inventada pela igreja cristã ) .
    Acho valido também para reunir as pessoas pois tem gente que quase não tem oportunidade de se reunir com parentes ou outras pessoas.
    Claro que só é legal se for uma reunião sem bebedeiras e brigas , se for uma festa alegre e saudável.
    E você hein! Com o seu espirito de natal fez a alegria de muita gente !
    Parabéns , gostei do seu espirito de solidariedade, mas não faça mais isso com seus atuais ou futuros patrões ! Eles ficarão malucos !
    Abraços .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, eu concordo com tudo o que você postou, não é por que eu não me sinto bem no natal é que vou ser contra as festas de confraternizações de fim de ano. Acho legal as festas das empresas e tals. Hoje em dia estou "mais normal", acho que o espirito do papai noel não vai baixar mais em mim não rsrsrs

      Excluir
  3. Olá Wendell. Eu não cheguei a ver a cerimonia, mas olhei a noticia, muito estranho mesmo, hoje em dia qualquer erro que a pessoa comete ela tenta se justificar dizendo que tem esquizofrenia. Os advogados mandam seus clientes darem uma de louco só para que a pena diminua. Até o maniaco do parque tentou fazer algo parecido, mas não deu certo, está na cadeia até hoje.

    ResponderExcluir
  4. Julio, acompanho o seu blog há cerca de um mês e estou aprendendo um pouco mais sobre esquizofrenia. Meu ex-namorado foi diagnosticado com esquizofrenia residual e, como assisti ao surto dele desde o início, até hoje fico bastante confusa com o tema. Na época, ele começou com uma depressão de três semanas e só não parou de trabalhar, depois ficou uns dois meses eufórico, mas fugia de mim e apresentava muita confusão mental e perda considerável de memória. Este ano, embora tenha aparentemente melhorado, começou a dizer que eu e a mãe o perseguíamos e que um conhecido dele queria matá-lo. Terminei porque não aguentei. Fiquei confusa e perdida com tudo e, para piorar, ele mentia o tempo todo. Desconfiei que ele estivesse me traindo, usando drogas, ou perdendo dinheiro em jogo. Imaginei todas as hipóteses possíveis para justificar o comportamento estranho dele e as mentiras incontáveis. Mas não suportei tanto sofrimento. Para meu espanto, ele, que tinha dificuldades enormes de mostrar sentimentos, começou a me mandar emails dizendo que me amava. Voltei a conversar como amigos e ele me disse que mentia sem parar porque achava que eu o estava perseguindo, ia sequestrá-lo e matá-lo. De qualquer modo, mesmo tendo esclarecido que ele estava em segurança e ele fazer tratamento psiquiátrico e psicológico, ele continuou a mentir compulsivamente, até que parei de falar com ele de vez.

    Ano passado, quando o surto começou, avisei a mãe. Para minha surpresa, a família não deu a mínima e ouvi dela que a família conversou e concluiu que ele estava ótimo! Mesmo em tratamento e ciente do diagnóstico, ele não disse nada à família e disse que não falaria sob nenhuma condição.

    Engraçado que, em todos os lugares que pesquisei, a mentira não aparece como sintoma. Todo o resto, sim. Você saberia me dizer se algum esquizofrênico em surto pode ter esse sintoma

    Obrigada e desculpe-me por desviar do tema do seu post. Sofri tanto ao lado dele que, mesmo distante e sem notícias, peço a Deus para protegê-lo e fazer com que o tratamento funcione.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa se desculpar, eu que agradeço a visita ao blog. Em relação ao fato dele falar mentira o tempo todo, realmente não creio que seja um dos sintomas da esquizofrenia, pelo convivio que tenho com meus amigos portadores. A verdade é que a personalidade não é muito influenciada pela patologia, talvez seja isso, não tenho certeza. Mas pelo que percebi ele não estava mentindo para tirar vantagem de algo, e sim para tentar se defender de uma situação que não correspondia a realidade.

      Excluir
    2. Obrigada, Julio! Parabéns pela força no dia a dia e pelo blog! Abs

      Excluir
  5. Natal é um dia normal pra mim também, esse dia plagiado de outros deuses como o Mitra, pra mim não passa de um feriado qualquer. É sempre assim, festa, fogos, consumo e falsidade. Muito raramente baixa o papai noel nas pessoas, mas acontece rsrs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, a data foi meio que inventada para que os cristãos também tivessem suas festas de fim de ano. Nada contra festas, é legal as pessoas se confraternizarem e tals, mas bem que poderiam falar a verdade sobre não saberem o dia em que Jesus nasceu. Valeu pela visita ao blog

      Excluir