Estrada Real: Folgaaaaaaaaa

21 de maio de 2013
Cruzília

    A noite foi muito tranquila, estou me sentindo muito bem em Cruzília. Não poderia ter escolhido cidade melhor para descansar. Policiais passaram por mim e viram a minha barraca várias vezes, mas nem me abordaram. Fiquei muito feliz por esse simples fato. 
    Não fiz nada hoje, além de comer e dormir o dia inteiro. Aliás, fiz uma coisa: fui ao pronto socorro, para ver se conseguia tomar uma injeção e dar uma zerada nas minhas dores generalizadas causadas pelo stress de andar duas semanas sem parar pelas serras de Minas Gerais(essa é a mais nova doença que inventei, e vai estar no próximo DSM).
    Fui muito bem atendido por uma enfermeira loirinha e bonitinha. A principio, ela não quis liberar a injeção, mas, depois de um pouco de insistência e encenação, ela resolveu me ajudar. Já havia tomado essa injeção no Caminho do Padre Anchieta, no Espírito Santo. É na poupança de doi demais. 
    A enfermeira de Cruzília pediu que eu entrasse em uma sala e aguardasse. Sentei em uma cadeira e logo fui colocando o braço naquele negócio de ferro que serve de apoio para se tomar injeção no braço, uma forma de dizer o local em que gostaria de tomar a injeção. 
    "Ah!, Mas a loirinha é bonitinha, não tem nada haver mostrar a parte de cima da poupança para ela"- pensei. 
    Estava sentado distraído esperando a injeção quando, de repente, entrou uma mulher do meu tamanho e até mais forte do que eu. A loirinha estava no corredor e ficou olhando para mim, querendo dizer alguma coisa. Não captei a mensagem na hora, mas deve ter sido algo do tipo:
    - Ha! Pensou que fosse eu né, seu safado!
     A enfermeira grandona foi logo fechando a porta e, sem cerimônia, pediu para que eu abaixasse um pouco a calça. A injeção não é no meio da nádega e sim naquele músculo que começa na parte de cima, e doi muito mesmo. Nâo sei se ela estava com raiva naquele momento ou se o correto é fazer isso, mas ela deu a injeção sem dó e piedade, de uma vez só. O problema maior é que a dor demora um pouquinho para passar, e procuro sair disfarçando um pouco, fazendo  aquela cara de que está tudo bem.
    Tirando a injeção, foi um dia agradável. Pão de queijo, broa de fubá, padaria, banco da praça... 
    Estava com preguiça até de tirar foto, por isso hoje tem música. É de um cara aqui de Minas também, o Vander Lee, tem lindas músicas, e uma delas é essa: 



Comentários

  1. kkkk melhor do que um homem dando injeçao na poupança né?
    profissao que tem muita mulher bonita é enfermeira, nutricionista, psicologa e fisioterapeuta kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Homem não tem sensibilidade para essas coisas, não pode dar injeção não. Verdade, essas profissões tem muita mulher bonita. Uma vez eu machuquei meus dedos jogando futebol, e ai fui em uma faculdade de fisioterapia para olhar a lesão, e fui atendido por uma linda fisioterapeuta. Olha, ela pegou na minha mão com tanto carinho que até valeu a pena machucar a mão. Imagina se fosse homem, já ia logo amassando a mão da gente. Dentista também tem muita mulher bonita, uma vez fui atendido por um dentista, que tinha uma mão bem pesada cara, e sofri pra caramba. Mulher tem mais sensibilidade para ser dentista, e quando erra, pede desculpas com a maior educação.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quetiapina

Reflexões diárias do dia a dia

Remédios: tomá-los ou não tomá-los?