segunda-feira, 4 de março de 2013

Nas ruas: Centro de convivência

Minha tribo sou eu
    Hoje(27/02) resolvi ir ao centro de convivência para portadores de transtornos mentais, no bairro Carlos Prates, ainda aqui em Belo Horizonte. Estava ansioso para conhecer novas pessoas que possuiam o mesmo tipo de transtorno do que eu: a esquizofrenia.
Logo após o almoço no restaurante popular, resolvo ir a pé mesmo, para ir me exercitando e me preparando para a caminhada do Padre Anchieta. Já estou olhando o preço de algumas barracas, que provavelmente sairá mais barato do que ficar dormindo em pousadas e hotéis, além de deixar a caminhada mais com cara de aventura, me deixando mais livre para escolher o tempo para percorrer o caminho que, se for para dormir em pousadas, dura exatos quatro dias, andando cerca de 25 km por dia. Nesse ritmo não dá nem para curtir e aproveitar as belas paisagens e praias, e muito menos refletir e meditar. 
    Mas, voltando ao assunto inicial, depois de caminhar por uns 4 km, finalmente chego ao centro de convivência. Vou entrando direto para a recepção, onde sou atendido com uma certa frieza. Me apresentei e disse que gostaria de conhecer o lugar e os frequentadores. A recepcionista disse que eu poderia ficar a vontade. Fui logo para a sala de TV, onde vários usuários estavam estáticos em frente ao aparelho, assistindo um programa de esporte. Seus rostos estavam inexpressivos e estavam todos calados. Um ou outro soltava um comentário qualquer sobre o que via na TV. Não sei se isso é devido ao efeito dos medicamentos, o embotamento afetivo, a tristeza por serem vitima da patologia ou o conjunto de tudo isso. Me senti como o personagem do filme, Um estranho no ninho, apesar de termos algo em comum. 
    Concordo que os medicamentos atuais são um grande avanço em relação ao que era praticado no passado para se tratar os casos de esquizofrenia, mas, convenhamos, ainda existe muito para ser melhorado nesses medicamentos, para que atuem mais na mente do que no físico. Os usuários pouco falavam, pouco demonstravam sentimentos, não se via um sorriso ou se ouvia uma gargalhada, apenas assistiam a televisão, meio robóticos. Não é uma crítica maldosa, mas isso para mim é como se fosse uma lobotomia química, mas sei que é o que se pode de fazer de melhor no momento, e acredito que, com o tempo, os cientistas irão melhorar cada vez mais esses medicamentos, sem os indesejados efeitos colaterais e reações adversas. É um mal necessário, e, se pesarmos os prós e os contras, é melhor ficar assim do que agressivo e surtado, nos casos mais graves. Gostaria de dizer que não sou a favor da antipsiquiatria, mas também não sou 100% a favor da psiquiatria, acho que andam pegando pesado demais na classificação de doenças. 

   Não é isso o que eu quero para mim, não consigo viver nesse estado total de apatia, mas não condeno quem vive assim, talvez o caso dessas pessoas sejam graves e seja necessário esse tipo de tratamento.
    Os usuários finalmente começaram a falar. Estavam comentando sobre um passeio, que seria ou no Jardim Zoológico, ou no Parque das Mangabeiras. Confesso que fiquei um pouco triste com essa situação. Gostaria de ter dito que eles mesmos poderiam fazer o passeio, que poderiam se deslocar para esse e vários outros lugares, que eram pessoas livres e não presos condenados. Não que eu tenha algo contra os centros de convivência, muito pelo contrário, fiz muitos amigos lá em Ipatinga em um desses. Mas o portador não precisa necessariamente ir todos os dias nos centros, resumir praticamente sua vida ao centro. Elas podem ir aonde desejarem, pois são portadores de esquizofrenia, não são pessoas que não possam viver livremente na sociedade. 
     Então, me sentindo meio fora do ambiente, resolvo ir embora. Acredito que não me enquadro em lugar nenhum, que não pertenço a nenhuma tribo, apesar de respeitar todas elas e todos os estilos de vida. A cada dia que passa, acredito que a solitude seja o meu lugar. Sozinho é onde eu tenho paz e consigo me encontrar. Não quero com isso dizer que as pessoas não prestem, que eu sou melhor do que os outros e tal, não é isso, é apenas o meu  jeito peculiar de ser. 
  
    Na maioria das vezes, escrevo os posts sentado em uma calçada, atrás de uma grande empresa, e é um lugar bastante tranquilo. No começo, as pessoas me olhavam com estranheza e desconfiança, deveriam estar pensando: o que que esse maluco está escrevendo em seu caderno? Com o tempo, alguns funcionários foram se acostumando com a minha pacífica presença no local e chegam até a me cumprimentar, o que me deixa muito feliz. Um simples oi de um funcionário me deixa muito feliz, é como se ele estivesse dizendo que me acha um cara do bem e que não estou atrapalhando em nada, o que é difícil de acontecer hoje em dia, quando todo mundo desconfia um do outro. Até os moradores de rua foram conversar comigo, estranhando o fato de eu ficar muito tempo sentado na calçada, no papelão. Alguns até me aconselharam a procurar uma igreja, mas respondi que era o meu jeito mesmo, que era meio caladão e tal. Seria um pouco dificil explicar sobre a esquizofrenia para todos eles, mas, sempre que dá, procuro falar sobre o assunto para o maior número de pessoas, para tentar tirar o estigma que o transtorno carrega, também na vida real, além de fazer isso no blog. 
-Obs: me desculpem não fazer o texto mais elaborado, estou na lan house e, como disse anteriormente, tempo é dinheiro mais do que nunca nesses lugares. O corretor ortográfico também não funciona nesse pc que estou usando, então adiantadamente peço desculpas por alguns erros de português.

    Não é a primeira vez que coloco esse vídeo da música do Zeca Baleiro, mas, ele fez uma sacada bem legal ao fazer esta música. 

17 comentários:

  1. Bem, tantas pessoas leem o que você escreve e deixam comentários. Você não está tão sozinho acho. Como você sente, a Internet te ajuda a não ficar isolado?

    ResponderExcluir
  2. Sim, a internet ajuda e muito a me sentir melhor, ainda mais agora. A minha relação com os leitores do blog é como se fosse de amizade mesmo, apesar de não conhecer a maioria das pessoas que passam por aqui. Obrigado pela visita ao blog. Sempre gostei de escrever, fazia isso em um caderno, hoje continuo fazendo, só que agora estou tornando público, espero que esteja ajudando as pessoas a entenderem melhor a esquizofrenia, apesar de ser apenas um portador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá ... Também sou muito solitário devido aos meus pensamentos ... Se você quiser, aceito vocês como meu amigo ...

      Excluir
    2. Se tiver facebook posta para que as pessoas lhe adicionem. O meu é esse:
      https://www.facebook.com/juliocesar.dossantos.79

      Excluir
  3. Júlio, eu acho q vc finge e finge bem o q vc realmente sente. Vc acha q não se encaixa em nenhum lugar pq tem uma forma de pensar egoísta. Na verdade vc não está nem aí pra ninguém pq é uma forma de vc receber e não ter q dar nada em troca ou não ter q agradecer nada do q as pessoas fazem por vc. Muitas vezes pra mudarmos os nossos comportamentos temos q treinar diariamente . Claro q vc não quer mudar nada , né?
    Vc é hiper carente tanto q vai sentar e escrever em frente a empresa onde passam várias pessoas. E como vc diz: “Um simples oi de um funcionário me deixa muito feliz, é como se ele estivesse dizendo que me acha um cara do bem e que não estou atrapalhando em nada, o que é difícil de acontecer hoje em dia, quando todo mundo desconfia um do outro. Até os moradores de rua foram conversar comigo, estranhando o fato de eu ficar muito tempo sentado na calçada, no papelão.”
    Vc gosta q as pessoas te notem e digam q vc é diferente e tal. Pq vc não vai escrever em um lugar calmo q ninguém te note ou te veja? Pq vc não vai escrever dentro de uma biblioteca pq vc se coloca onde as pessoas passam? Mesmo q não queiram acabam te notando devido a sua insistente permanência no local por onde elas passam?
    A sua solitude é falsa e tbm a sua convivência contigo não te traz paz nenhuma. Eu acho q vc não é o seu próprio centro. Vc ainda não conseguiu conectar com o seu EU superior q está adormecido. Vc está procurando a felicidade fora de vc. Vc é escravo das opiniões alheias , escravo de “oi” de transeunte pra vc se sentir feliz. Isso é falso e mentiroso. Vc não tem coragem de enfrentar o seu vazio. Vc precisa de todos nós aqui do seu blog. Vc não consegue viver no silêncio. Vc tem q verbalizar pra alguém as suas intenções e seus desejos ou seja vc precisa de platéia pra se sentir amado.
    Vc quer e gosta de receber “ois”Julio? Passe a cumprimentar e receber as pessoas e não olhe só para o seu umbigo, sua doença ou seja lá o q for . Passe a não analisar as pessoas com os olhos frios de um observador acima de tudo e de todos. Vc está no mesmo barco de todos nós. Chegue nos lugarem e passe a ser inteiro e procurar ver o q as pessoas tbm precisam. O q vc chama de “embotamento emocional” é muito cômodo pra pessoa q não quer fazer um simples esforço de dar pelo menos um “ bom dia ou um muito obrigado” . Até os cachorrinhos abanam o rabinho quando ganham afagos ou quando as pessoas q eles amam chegam em casa. Pelo menos vc deveria aprender com os animais. Pare de julgar e fazer acepções de pessoas e pare de fingir. Eu pertenço a sua tribo mas junto contigo, não te deixando isolado. Somos muitos na sua tribo. Todos q acompanham seu blog pertencem a sua tribo. Aceite essa verdade sem fingimento: Vc necessita de nós e nós necessitamos de vc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, eu nem li o seu comentário todo, pois não condiz com a realidade e sim é apenas a sua opinião. O lugar onde escrevo é super tranquilo, não aparece ninguém por lá o dia inteiro, pois é estacionamento dos funcionários de uma grande empresa, ou seja, é muito calmo e tranquilo, principalmente nos fins de semana. Só há um pouco de movimento no horário em que os funcionários saem do trabalho, por volta das 17:horas. No resto do dia, só fica o vigia e um ou outro morador de rua, que fica lá por causa das sombra das árvores. Lá é tão tranquilo que dá até para se escutar o barulho do transformador de energia elétrica que fica no poste. Até escrevi um post no domingo naquele local, falando sobre isto. Fingimento é algo que não existe no meu dicionário, tanto é que estou publicando o seu comentário, apesar de só ler o começo, pois não condiz com o meu modo de ser. Gostaria até de ser menos sincero, principalmente na época em que trabalhava, para obter vantagens, mas sempre fui um bom funcionário, e para mim isso era o suficiente. Obrigado por visitar o blog, apesar de não ler totalmente o seu comentário.

      Excluir
    2. Sérgio,vc e esquizofrenico?Convive com algum?Pelo seu infeliz e insignificante comentario nota-se sua total falta de informação e incompetência sobre o assunto.Felicidades!

      Excluir
    3. OLá, o Sérgio na verdade é uma mulher, eu a conheço, ela não é esquizofrênica, por isso que diz essas e outras coisas que não achei necessário publicar. Mas, sempre haverá pessoas assim, que pensam que entendem de tudo, eu mesmo até hoje estou aprendendo sobre a esquizofrenia, e procuro ajudar no que posso aqueles que também procuram entender essa que é uma das mais misteriosas patologias. Obrigado pela visita ao blog.

      Excluir
  4. Acho que o autor do post de cima não entendeu nada das suas propostas. Eu também não me vejo encaixado em nenhuma tribo, mas nem por isso desconsidero e ignoro as pessoas. As respeito da forma que são. Seu trabalho de escritor ajuda e muito a desmitificar e tirar o estigma que nós, os esquizofrênicos sofremos. Continue escrevendo, mesmo que alguns não te compreendam. Fique bem e se cuide.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, mas essa é a vida, não tem como agradar a todos, só quem tem a esquizofrenia é quem sabe de verdade o que passamos e sentimos. Ela não sei se sentiu ofendida ou não estava em um dia bom, mas, como disse anteriormente, já se passou a época em que me preocupava com esse tipo de comentário. Gosto de receber críticas, pois é uma forma de nos aprimorarmos como pessoa, mas ofensas já é complicado, nem publiquei o outro comentário dela, mas, fazer o que, não tem como agradar a todos mesmo. Obrigado por visitar o blog.

      Excluir
  5. Compartilhei seu blog entre pessoas que estão iniciando seus estudos no curso de Psicologia e espero com isso contribuir para que muitos mudem sua visão em relação aos portadores de esquizofrenia.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Julio. Eu li o comentário inteiro do sergioellea . Adoro você e acompanho seu blog, mas acho que você deveria ler o comentário inteiro, refletir de cabeça aberta e ler com outros olhos. Eu, particularmente, entendi como um crítica construtiva. Beijao!

    ResponderExcluir
  7. Oi Júlio, eu faria como vc, nem me daria ao trabalho de ler, não interessa a ninguém esse tipo de crítica que parte da mera implicância. Pessoalmente achei seu relato muito delicado e coerente. Amei o blog, vá em frente, sempre sabendo que a internet é uma terra de ninguém e sempre vai ter um espírito de porco querendo te atingir.

    ResponderExcluir
  8. prezado júlio: como já disse por e-mail, admiro sua iniciativa por ter criado esse blog na tentativa de mudar a imagem que as pessoas ignorantes têm de nós, pacientes psiquiátricos. é claro que sempre vai ter um ou outro pra se descabelar de inveja e fazer comentários maldosos, afinal, o blog é um sucesso e isso incomoda quem não tem capacidade de fazer algo parecido. não dê a mínima pra esse povo! um abraço do stefano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado cara. Até hoje não entendo que faz uma pessoa a fazer tais comentários. Eu, como disse anteriormente, gosto de receber criticas, desde que sejam construtivas. As outras, já nem ligo mais, pois, aprendi na prática que os únicos prejudicados quando damos atenção a essas coisas somos nós. Eu mesmo aprendi muito com uma crítica de uma psiquiatra, quando ela disse que eu coloco tudo o que penso e faço na conta da esquizofrenia. Acho que ela tem razão, apesar de que a esquizofrenia é dificil de esquecer de que a temos, mas, às vezes fazemos algo e pensamos não devido a esquizofrenia, mas como pessoas sem transtorno nenhum. Como essa viagem que estou fazendo, muitos pensam que é loucura, mas penso que é saudável sair caminhando por lugares tão bonitos. Obrigado por visitar o blog.

      Excluir
  9. que bom que você apareceu! cadê as novidades sobre a viagem, posso saber? aposto como não sou a única pessoa ansiosa pra ver o que você anda aprontando no espírito santo! e as fotos? e os videos? não esconda nada dos seus leitores assíduos! depois "respondo a resposta" do seu e-mail com calma. as coisas por aqui estão um pouco enroladas. abraço do stefano, cuide-se.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou postar a viagem completa, tirei muitas fotos de paisagens muito bonitas e gravei alguns videos. Com tempo e calma, irei editar um video sobre a viagem completa, pois é um pouco demorado editar um video, colocar as musicas, as legendas, titulos,etc. Valeu por visitar o blog.

      Excluir