Alexandre Nardoni era louco?

    Outro dia, a Juliana, no Rio de Janeiro, quando falávamos sobre o casal Nardoni, me disse que o Alexandre tinha um  trantorno mental.  Eu já tinha pensado nisso, quando via suas fotos com os olhos meio esbugalhados.
    A Juliana me disse que sua ex esposa o ficava atormentando querendo uma alta pensão, e que deixava a Isabella com frequência em seu apto enquanto saia por ai para se divertir. Não sei se essa informação é verídica, mas e se fosse? Existe justificativa para se atirar uma criança(um anjinho) do quinto andar de um prédio? Já pensou se a moda pega? Ah! Você está me incomodando, então vou te exterminar!
     Confesso que chego a pensar se a pena de morte não seria uma boa ideia para esse tipo de crime. Sei que é algo polêmico, mas acho que seria uma boa ideia, basta ver que nos Estados Unidos as pessoas devem pensar duas vezes antes de fazer uma barbaridade dessas. Claro que coisas desse tipo acontecem por lá, mas creio que não com tanta frequencia como no Brasil. Infelizmente acontece muitos casos graves, como os atiradores nas  escolas, mas no final a pessoa que faz esse tipo de coisa  queria também se matar, ou seja, não estava contando com a benevolência da justiça, como acontece aqui no Brasil. Não duvido que o casal Nardoni consiga sair antes de cumprirem a pena que lhes foi imposta.
    Alexandre pode ser louco, ter um transtorno mental qualquer, mas, antes de tudo isso, ele é uma pessoa má e cruel, pois, para mim trantorno mental é uma coisa e cárater é outra. Existem vários blogs e sites que falam sobre esse tema, e a minha opinião é que se trata de mau caratismo mesmo esse tipo de crime, e devem ser condenados sem nenhuma restrição. Espero que Alexandre e sua esposa permaneçam um bom tempo na cadeia, apesar disso não trazer de volta a vida de uma criança inocente.
http://extra.globo.com/casos-de-policia/a-condenacao-dos-assassinos-psicopatas-376142.html
    Um dos motivos que resolvi escrever este blog foi esse. De tentar mostrar que esquizofrenia não é sinônimo de violência e agressividade. Claro que pode ocorrer casos de agressão, mas, como já disse antes, a maioria dos portadores acabam fazendo mais mal a si mesmo do que aos outros. Eu mesmo não sou agressivo, e nem mesmo na fase mais aguda dos surtos agredi alguém, pelo contrário, cheguei a ser agredido por um garçon, por entrar sujo e fedendo em um restaurante, mas não havia falado nada e nem feito nada que justificasse a agressão. Apenas entrei e fiquei calado e, o garçon, sem ao menos me pedir para sair, me deu um murro no meio do peito, e, como eu estava muito magro no primeiro surto, só não acabei parando no meio da rua por que acabei batendo em uma árvore, tamanha foi a força do soco que o garçon me deu.
existe justificativa para tirar a vida de um pequeno anjo?
  

Comentários

  1. Putz, só faltava essa agora. Amigo se ele tivesse um transtorno mental tão singular como a esquizofrênia,provavelmente isso teria sido relatado e usado contra ele no tribunal. Sempre achei este um caso cheio de furos, mas no fundo acho mentalmente impossível um pai ter um rompante de raiva súbito e de repente matar (ou deixar que matasse) sua própria filha, até agora nenhum psiquiatra foi capaz de atestar nenhum tipo de insanidade tanto por parte do Alexandre como por parte da Ana Carolina, logo como por parte deles não haveria motivo, não foram eles que a mataram. sugestão: http://www.youtube.com/watch?v=W1uICARvyWA

    e outros videos do canal. (nota: alguém já disse que você parece com o Peter Dinklage ^^)

    ResponderExcluir
  2. Bem, eu sinceramente acho que foi o Nardoni mesmo que fez esse ato, acho que por crueldade mesmo, pela situação em que estava também, mas nada justifica tirar a vida de uma criança indefesa. Eu dei uma olhada nas fotos do Peter Dinklage, e acho que existe algumas semelhanças mesmo, ele é meio esquisito, como eu, rsrsrs. Obrigado por visitar o blog.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Quetiapina

Remédios: tomá-los ou não tomá-los?

Reflexões diárias do dia a dia