quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Que país é este?


Resolvi mudar o título do post, pois achei que algumas pessoas poderiam me interpretar mal, mas o título anterior era só uma referência ao filme O advogado do diabo. Mas o conteúdo do post não foi mudado, pois creio que não estou infringindo nenhuma lei. Ou será que juízes são imunes às críticas? No facebook sinalizaram que o conteúdo do post é inadequado, mas o que essa juíza fez é  o que então?

     Semana passada, ao abrir a página inicial do navegador, me deparei com uma notícia que me deixou perplexo. Um garoto foi despejado do abrigo em que havia morado por toda a sua vida. Bem, até ai nada de tão escandaloso assim. O problema é que o menino é deficiente mental e foi abandonado pela família logo nos primeiros meses de vida. Ainda acha pouco? O garoto, além de deficiente mental, é soropositivo, cego, mudo e paralítico. É muita coisa para uma pessoa só. Já não bastasse o sofrimento que esse rapaz deve passar, e ainda vem uma "juíza" e o afasta das pessoas que o amam. 
   Às vezes me sinto envergonhado quando me pego reclamando da vida quando vemos coisas desse tipo acontecerem. Mas também não podemos condicionar a nossa satisfação se baseando na infelicidade dos outros. Devemos nos compadecer do sofrimento dessas pessoas, mas isso não pode fazer com que fiquemos felizes por ter problemas menores do que os outros. Se fosse assim, todos  os humanos teria que estar felizes, e somente o mais infortunado dos mortais teria razão de se sentir triste. 
É como se fosse um coxo que fica feliz ao ver um paralítico em sua cadeira de rodas. Ou seja, a sua felicidade está condicionada na desgraça alheia. 
     Mas, voltando ao tema do post, a "juíza" responsável pelo caso(foto acima) e que tirou garoto do seu verdadeiro lar e o afastou das pessoas que o amam, se chama ana cristina borba, da vara da infância e da juventude. Agora até fiquei com medo de falar sobre ela, pois foi um problemão para colocar a foto dela aqui, não consegui nem digitar no espaço em cima que está em branco. Sinceramente, demorei um pouco para acreditar no que estava lendo. Primeiro, pelo fato do garoto ter tantos problemas. Mas o que mais me deixou perplexo foi saber que um ser humano é capaz de tirar um garoto que já tem uma vida sofrida do seu verdadeiro lar, que é ao lado das pessoas que sempre cuidaram dele com o maior carinho. Essa juíza não tem alma? Não tem coração? Ela poderá dizer: "Ah! Mas eu só estava cumprindo com o meu dever", pois o abrigo só comporta jovens de até 16 anos. Mas ela não poderia esperar alguns dias até que se encontrasse um local adequando para o garoto? Ou então não poderia abrir uma exceção nesse caso, devido aos inúmeros problemas que ele tem? O menino foi praticamente jogado na sala de um pedagogo pelos oficiais de justiça, acatando as ordens dessa juíza. Engraçado como que a lei funciona rapidamente nesses casos, mas, para julgar políticos corruptos... A impressão que se dá é que a única lei benéfica que funciona no país é em relação à pensão quando um casal se separa, pois já vi até jogadores de futebol passando a noite em uma cela.  

    Uma outra coisa que me chamou a atenção foi que o fato não teve tanta repercussão assim nas redes sociais e nem na mídia de um modo geral. O caso da enfermeira(foto acima) que matou cruelmente um pequeno cachorro indefeso virou manchete no país inteiro. E também não é para menos, pois ela não agiu como um ser humano, nem vale a pena postar o vídeo das agressões, pois só de vê-las dá para ficar revoltado. Eu amo animais, e no facebook não resisto em compartilhar fotos engraçadas de animais, principalmente os cães. Me desculpem se estou falando um heresia, mas as provas de amor e fidelidade dos caninos me faz pensar se esses animais não possuem alma ou se são anjos enviados por Deus.      
cachorro ao lado da cova do seu dono 
Um filme que me faz pensar sobre isso é "Sempre ao seu lado", que foi baseado em fatos reais. Um cachorro, sempre esperava seu dono retornar do trabalho em uma estação de trem. Isso era uma rotina diária, até que o seu dono morreu e não voltou mais. Mas o pobre cachorrinho continuou a esperar o seu dono por mais dez anos! Ele acabou virando uma espécie de herói nacional e ganhou até estátua. 

    Eu mesmo, em um dos momentos mais difíceis da minha vida, que foram os primeiros surtos, tive o meu sofrimento amenizado e fui confortado por uma cadela chamada Cherry, já que as pessoas simplesmente começaram a se afastar de mim. Mas Cherry não me abandonou um momento sequer, até o dia em que tive que me mudar de cidade. Anos depois fiquei sabendo que ela teve que ser sacrificada, pois simplesmente parou de se alimentar e entrou em depressão depois da minha saída da firma onde trabalhava.(ela pertencia a esposa do dono da firma). Eu escrevi o nome da cadela com letras maiúsculas e o da juíza com letras minúsculas, pois tenho mais consideração por cachorros do que por pessoas como essa senhora que me parece não ter alma e nem coração. 
    Sinceramente, estou com receio de publicar este post, falando assim dessa maneira de uma representante da lei deste país, vá se saber se por acaso o que estou postando aqui não chegue aos ouvidos dela? O que poderá acontecer comigo? Poderá me processar por chamá-la de desalmada? Sinceramente não sei, não entendo de leis, já vi gente fazendo coisa muito pior e não acontecendo nada, é só ler os noticiários do dia a dia que veremos vários exemplos do que estou falando. Os ricos e os poderosos raramente são presos, a não ser que as provas sejam muito contundentes, e pra falar a verdade, acho que nem assim são presos, salvo pouquíssimas exceções. E quando são condenados, como por exemplo no caso do mensalão, podem ser soltos, sempre se encontra um jeito, uma brecha na lei. Nesse caso específico, os condenados do mensalão podem cumprir a pena em regime aberto, pois estão querendo alegar que não existem vagas para essas pessoas nos presídios. Engraçado que, para ladrão de galinha sempre sempre existe vaga né? Será que todo o trabalho do ministro Joaquim Barbosa foi em vão? Ou estão procurando um hotel cinco estrelas para colocar os condenados?
    Me desculpem se hoje estou um pouquinho amargo, mas ficar todo dia vendo essas notícias me deixa um pouco revoltado. O que mais a gente vê por ai é a polícia tendo um enorme trabalho para prender os contraventores(agora baixou o advogado em mim) e a justiça mandando soltar. E, por falar em policiais, o que acontece quando estes cometem um crime? São levados para a cela do quartel, que, quando não são confortáveis, chegam a ser até luxuosas, com direito a festinhas. 
Cela do Batalhão Especial Prisional da Polícia Militar (BEP)
    Acho que a mídia peca um pouco é na falta de informação sobre o desfecho de alguns crimes. Alguém sabe o que aconteceu com a enfermeira que matou o cachorrinho? O que aconteceu com os policiais no Rio de Janeiro que não socorreram o coordenador do afroreggae? Quem não sabe do caso, os policiais, ao invés de socorrerem a vítima, que havia levado dois tiros, simplesmente foram até aos ladrões e "pegaram" para si mesmo o produto do roubo e depois liberaram os bandidos. Vendo assim nem dá para acreditar que isso é verdade, por isso vou deixar aqui o link que explica melhor o caso.

   A verdade é que não sabemos o desfecho desses e outros casos pois isso não dá ibope. Quando é alguém famoso que está envolvido, ai a história é diferente. Vide o caso do goleiro bruno, até hoje é notícia e vai continuar sendo até que o último envolvido seja julgado. Afinal o cara é rico, jogava no clube de maior torcida do Brasil e tudo mais. Aqui em Minas tem um programa chamado "tv verdade" que, para aumentar a audiência, praticamente todo dia anunciava que tinha uma novidade do caso bruno. E sempre deixavam essa parte para o final, para prender os telespectadores. E na verdade, não noticiavam nenhuma novidade, só suposições, para aumentar o ibope e garantir o emprego do apresentador. 
    Acho que deveria haver um maior interesse da mídia em nos informar sobre o desfecho desses casos de injustiça que envolvem pessoas não famosas. O brasileiro merece ser informado se a justiça está sendo cumprida ou não. 
   E o que aconteceu com o garoto deficiente mental? Pelo que deu para ler, ele foi transferido para um clínica particular, e as despesas estão sendo pagas pela prefeitura da cidade onde o fato aconteceu. Mas será que a juíza não poderia ter um pouco de sensibilidade e voltar atrás em sua decisão? Que lei é essa que tira uma pessoa do seu lar e o afasta das pessoas que o amam? Para falar a verdade, não acredito que a juíza irá mudar de opinião, pois, quem faz uma coisa dessas não pode ter coração. Que saudades da Cherry!


5 comentários:

  1. Parabéns pela postagem. Infeizmente a justiça do Brasil é bastante injusta. Sendo o contrário do que o próprio nome prega. O que acontece entre a população é que se conformam que tudo é assim mesmo e não lutam. Vários protestos se tornaram a própria solução. Há a libetdade de expressão!! Vamos usar isso a nosso favor!! Vamos protestar e demonstrar que não somos objetos manipuláveis do sistema. Um abraço querido.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado por visitar o blog. Realmente o brasileiro é um pouco pacato nesse caso. Eu observo os argentinos, que fazem protestos bem veementes, chegando até a ser um pouco violento mesmo. Mas assim os políticos pensam duas vezes antes de aprontarem.

    ResponderExcluir
  3. Adorei seus posts, blog e vídeos. Mandei um email pra vc.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Sinto solidão, saudade... pois gostaria de ter uma familia grande pra reunir. Sempre passei natal com uma grande familia reunida e hj não tenho mais isso. Ficamos só eu e meu marido, e agora nao temos mais companhia. Chamei um amigo que iria passar sozinho e ele virá, mas gostaria bastante de ter uns 5 convidados pelo menos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Natal é complicado mesmo, ou a pessoa adora ou não gosta muito, já até baixei um monte de filmes para ficar vendo no natal e ocupar a minha cabeça. Legal a sua atitude de convidar o seu amigo, com certeza ele se sentirá menos sozinho. Até as famílias que são grandes, quando não se dão bem, o natal não é tão legal assim. O ideal seria ter uma família grande e que todos se dessem bem.

      Excluir