Divagações esquizofrênicas 3

    Apesar de não condicionar o meu estado de espírito às datas, costumo fazer algumas análises e reflexões no fim de ano. Esse ano para mim não foi dos piores, foi a mesmice de sempre, mas creio que avancei em termos de  auto conhecimento, estou aprendendo a lidar melhor com as minhas paranoias e até que estou tendo um sono razoável, isso quando as coisas estão tranquilas na vizinhança. Mudar para onde moro atualmente me fez sentir a pessoa mais normal do mundo, já houve caso em que até que foi necessário o comparecimento de uma viatura da polícia, por causa de panelas. O funk é o estilo preferido por alguns vizinhos. Até ai, nada de mais, o problema é que eles acham que é o nosso preferido também e somos obrigados a ouvir a batida repetitiva do funk atual. Eles podem ter vários cd's de funk, mas a impressão que se dá é que estão ouvindo a mesma música o dia inteiro.
    Se por um lado as paranoias e alucinações diminuíram, esse ano os sintomas negativos apareceram. Desânimo, apatia, etc. Atualmente, são poucas coisas que acho graça, sinto saudades de mim mesmo. Diante de tanto desânimo, tive que me render aos medicamentos. Após várias pesquisas e conversas com amigos, cheguei a conclusão que a sertralina é o medicamento mais indicado para o meu caso. Eu não sou psiquiatra, mas o atendimento aqui em Ipatinga na área da saúde está deixando muito a desejar. Até que depois do meu post contando a atual situação da cidade, as coisas no posto de saúde melhoraram um pouco (será que eles viram? rsrs). O atendimento, que antes era só de segunda a quarta, passou a ser diário. Agora tem copo descartável para todos beberem água e as consultas estão demorando um pouco mais do que os dois minutos, que eram a média anterior(não é brincadeira não, cheguei até a cronometrar, podem olhar o vídeo no post!)
    Mas o problema é que só tem um médico para atender todo o pessoal que mora no centro e nos bairros adjacentes e, convenhamos que ele não é um expert nos problemas da mente. Então foi assim que eu cheguei no consultório dele:
    - Após avaliar os prós e os contras, cheguei a conclusão que estou precisando de um antidepressivo. No meu caso a sertralina seria o mais indicado, na dose de 50mg.
    - Mas a amitriptilina não serve? perguntou o doutor.
    - Ah não! Esse me dá muito sono, prefiro experimentar a sertralina, conheço uma farmácia que vende manipulado e é baratinho.
    Depois ele perguntou o que eu estava sentindo e disse que era o desânimo e que os meus exames não apontaram nada de errado. Então, seguindo as minhas orientações, preencheu a receita e fui embora.
    Claro que recomendo que ninguém faça isso, mas, como não tive outra alternativa, tive que consultar o "Dr. Google". E, como de médico e de louco todo mundo tem um pouco... Eu sou daqueles que gostam até de ler a bula dos remédios.
    Estou tomando a sertralina há cinco dias. Vou esperar mais um pouco parar tirar as minhas conclusões definitivas. No primeiro dia que tomei( foi numa manhã) senti uma preguicinha e um soninho gostoso. Fiquei bem relaxado e não estava me importando com nada. Liguei a televisão e comecei a achar graça em coisas que normalmente não consigo achar. E ai  comecei  a me fazer alguns questionamentos. Será que estou tomando uma droga parecida com a maconha? Eu só experimentei a maconha três vezes em toda a minha vida, e a sensação que tive naquele dia era mais ou menos parecida, a diferença era um pouco de sonolência que a sertralina causa. Estava meio aéreo e não era isso o que eu esperava de um antidepressivo. Mas resolvi continuar, pois o organismo tem que se adaptar a nova medicação e tals.
    Nos primeiros três dias, tive um pouco de insônia, então comecei a tomar o remédio de noite, e o meu sono agora está normal. Uma coisa positiva que tenho que ressaltar é que diminuiu o meu desconforto de sair de casa, principalmente de ir ao centro da cidade. Até o funk do vizinho está um pouco menos irritante. Mas, como aconteceu com a risperidona, estou meio robotizado emocionalmente. É uma sensação estranha, não sentir nada, é como se fosse uma lobotomia química. Não estou me importando com nada mais, minha barba está enorme e meu cabelo também está grande. Estou tranquilo, calmo, mas acho que mais do que deveria, e quase não escrevo o post desta semana. Vou esperar mais alguns dias para analisar a situação e decidir se continuo ou não com a sertralina. Estava precisando de um medicamento que me desse ânimo, e não que me deixasse assim tão zen. Ouvi falar que o zetron é ótimo para isso, mas, pelo que pesquisei, esse medicamento aumenta os níveis de dopamina nas conexões cerebrais( isso eu copiei do site, não sei falar assim como um psiquiatra rsrsrsrs) E, como atualmente o excesso de dopamina é uma das teorias mais aceitas no que se refere a parte biológica da esquizofrenia, cheguei a conclusão que esse medicamento seria perigoso para mim. Moro sozinho e não quero surtar novamente, chega de ir para as ruas.
    Voltando às reflexões de fim de ano e as minhas dúvidas e questionamentos, paro para pensar e chego à conclusão de que fui e sou uma boa pessoa. Não sou um santo, errei muito nessa minha vida e ainda erro até hoje. Me arrependo de muitas coisas que fiz e de tantas outras que não fiz nessa minha existência. Acho estranho quando uma celebridade vai na televisão, e, quando é perguntada sobre arrependimentos, elas sempre dizem que nunca se arrependeram de nada do que fizeram em suas vidas. Eles são perfeitos? Nunca erram? Eu já errei pra caramba, não fui um bom filho, nem um bom neto, falei coisas que não deveriam ser ditas, e várias outras coisas. Bem, se eu ficar falando aqui sobre os meus erros, acho que esse post seria longo por demais e aqui também não é um confessionário né?
    Mas, uma das coisas que mais me arrependo é a de ter falado pouco, e ficar engolindo sapos não é muito saudável. Deveria também ter me declarado para as garotas e mulheres que fiquei a fim de conhecer, um fora a mais ou a menos não é pior do que o arrependimento de não ver mais a pessoa que você sentia que poderia ser legal conhecer.
    Mas esse ano que está se acabando foi interessante para mim e as coisas que aconteceram me fizeram sentir uma pessoa melhor. Ao postar o meu primeiro vídeo no youtube, a minha intenção era de apenas fazer um desabafo tentando explicar que esquizofrenia não é sinônimo de loucura, agressividade, falta de capacidade de raciocínio, etc. Mas, para minha surpresa, com o tempo, muitas pessoas me mandaram mensagens de carinho dizendo que o vídeo as ajudaram bastante. Me sentia meio desconfortável gravando vídeos, então resolvi continuar tentando tirar um pouco o estigma que a esquizofrenia carrega fazendo algo que eu gosto de fazer, que é escrever. Não vou esquecer nunca o carinho que recebi das pessoas aqui no blog e esse tempo escrevendo me fez muito bem.
    Acho que o blog já cumpriu a sua missão, o que eu tinha para dizer, acho que já foi dito. Só a informação é que irá acabar com o preconceito e o medo que a sociedade tem da esquizofrenia. Fiz o que deu para ser feito, e agradeço a todos pelo carinho, só tenho que agradecer pela força que as pessoas me deram nesses sete meses de blog. Não sei se vou continuar a postar, não sei se é o efeito da sertralina que está me deixando assim, sem ligar para nada. Estou me sentindo bem de um lado, mas por outro estou meio robótico, sem emoções, é muito estranha essa sensação. Eu, que sempre fui muito emotivo e meio chorão, agora estou assim, frio. Estou num dilema terrível, fico assim, sem graça, mas tranquilo,  ou volto a ser uma pessoa com emoções? Penso em ficar com a segunda hipótese, pois não sou agressivo e fico mais em casa mesmo. Eis a questão: Remédios: tomá-los ou não tomá-los?
   Hoje(ontem) é  o tão falado dia 12/12/12, uma data cercada de mistérios. As opiniões divergem, uns dizem que é o início de uma nova era, já outros dizem que é o fim do mundo. Eu, como não ligo para datas, nem me dei ao trabalho de pesquisar sobre esse assunto. Já são 15:23 e até agora não aconteceu nada de diferente por aqui? Você sentiu alguma diferença em seu dia? Só por que existe uma coincidência de números é que irá acontecer alguma coisa? Ano passado foi a mesma coisa com o 11/11/11, até comunidades no orkut foram criadas sobre essa data, algumas pessoas disseram que o número 11 não é legal, pois foi nesse dia que as torres gêmeas foram derrubadas e outras coisas mais.  Porém, não aconteceu nada, apenas uma pequena paranoia coletiva e nada mais.
    Semana passada foi dia de pagamento e pequenas compras. A minha principal necessidade era comprar um bom fone de ouvido,  já que, pela terceira vez, arrebentei o do meu telefone. Na primeira loja, experimentei três, todos originais, pois gosto de um som com um mínimo de qualidade e com volume suficiente para me desligar do mundo em minha volta. Mas todos os três estavam com o som meio baixo e ai me lembrei que os fabricantes de fones de ouvido agora tem que obedecer uma norma que  não se pode ultrapassar o limite de tantos decibéis. Fiquei meio decepcionado, pois, com o volume no máximo, o som externo ainda era bem perceptível. Então começou a minha peregrinação pelas lojas do centro da cidade. Foram cerca de dez lojas e uns vinte fones de ouvido experimentados.  Nenhum deles me agradou, pois todos eles já estavam seguindo a tal norma.
   A minha última esperança estava nas barracas dos camelôs. Não tenho preconceito de comprar nos camelôs, já encontrei bons produtos por lá, e felizmente, foi o que ocorreu com o fone de ouvido! Já na terceira loja encontrei o que eu queria: um som alto e com qualidade! Vou até comprar um de reserva, pois com essa nova norma, o som dos fones estão meio baixos para o meu padrão.
    Eu também já me precavi de um futuro rompimento do cabo do fone de ouvido. Quem gosta de ouvir música no celular provavelmente já deve ter arrebentado um. Então, seus problemas acabaram! Sigam as dicas do mestre da gambiarra(bem feita!) e seus fones de ouvido durarão muito mais! Você só precisa de um pequeno pedaço de fita crepe, um outro pequeno de fita isolante e tesoura. Não tem mistério, é só dobrar o cabo como na foto ao lado e passar a fita crepe. Para dar um acabamento, passe por cima da crepe a fita isolante. Ai, toda vez que o cabo for espichado sem querer, não irá arrebentar a conexão.
    Então, depois da compra do fone de ouvido, algo aconteceu que quase me fez surtar novamente.  Como todo bom mineiro, resolvi tomar um suco de laranja e comer um pão de queijo. Assim que me sentei no balcão, uma menina já chegou com um suco de laranja sem que eu tivesse falado nada! Fiquei perplexo, olhos arregalados, paralisado, acho que até o meu coração parou nessa hora. Como ela descobriu o que eu queria? Estaria ela lendo os meus pensamentos? Será que vai começar tudo de novo? Pensei, pois, nos surtos que eu tive, estava convicto que as pessoas sabiam o que eu estava pensando. Fiquei parado, estático, esperando que a menina falasse alguma coisa, quando a outra balconista disse:
    - Não é pra ele não, o suco é pra aquele cara lá da ponta.
    Depois de ouvir aquilo, soltei o "ufa" mais aliviante de toda a minha vida. Era apenas um engano, ninguém estava lendo meus pensamentos, não estava pirando novamente. Foi apenas um susto, e depois até dei boas risadas. Quando pedi o meu suco de laranja, disse  para a menina que ela era uma vidente.
    Como disse anteriormente, não sei se vou continuar postando. Já sinto que o blog fez o que tinha que fazer. Mas ainda estou na dúvida se não é a sertralina que está me deixando assim meio desinteressado de tudo. Talvez seja só um tempo mesmo que eu precise. Talvez eu pare de tomar esse medicamento amanhã e já mude de ideia. Talvez o mundo se acabe mesmo como estão prevendo. Sei lá, tudo pode acontecer.
-obs: em relação, ao livro, independente de continuar o blog ou não, continuarei disponibilizando, para adquiri-lo é só ler a anotação do lado direito do blog.

Comentários

  1. Olá,Júlio!
    Em primeiro lugar, mil parabéns pelo seu blog e seus videos.
    Você se expressa muito bem: dá atenção às pessoas, tem coragem e esclarece.
    Compartilha.
    Coisa rara nesse mundo.
    Fiquei muito contente em encontrar suas postagens e divido com você esse sentimento de que muitas coisas estão chatas mesmo.
    Fim de ano, por exemplo, não gosto mesmo, porque não é a comemoração da virada do calendário que fará com que as coisas mudem, mas a comemoração de um calendário interior que tem suas viradas, e que é fruto das quase sempre imperceptíveis, mas grandiosas transformações pessoais que passamos.
    Pelo que você relata, você passa por essas maravilhosas transformações pessoais.
    Desejo a você um Feliz 2013, cheio de felicidade, sucesso em tudo em sua vida e que este ano te traga muitas realizações.
    Um grande agraço e obrigada.

    ResponderExcluir
  2. muito bom seu blog. Achei q era só eu q me sentia assim com a risperidona. Depois de ler seu blog, acho q vou desistir de tentar sertralina tbém.

    ResponderExcluir
  3. Pelo visto vc optou por continuar com a sertralina, pois não postou mais. Eu sofro com uma falta de ânimo há mtos anos e estava pesquisando sobre isso, esbarrei com a sertralina e comecei a pesquisar sobre ela e vim parar aqui no seu blog, gostei muito do que postou sobre os efeitos do remédio... e entre ser emotivo demais e se tornar robótico demais em relação às emoções, prefiro mil vezes ser robótica. É meu sonho de consumo, não sentir tanto. A vida é mais leve para as pessoas que já nascem com esse dom. Se quer uma opinião, sertralina forever!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Reflexões diárias do dia a dia

Quetiapina

Remédios: tomá-los ou não tomá-los?