quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Galeria de arte

    Bem, essa semana eu estou postando um poema de Liliane Jardim. Ela provavelmente é poetisa e acho que não é portadora de esquizofrenia, mas soube expressar muito bem com esse poema o que é ter essa patologia. Mandei um email para ela, mas não obtive resposta. Mas, tomei a liberdade de colocar o texto no blog, pois, além de achá-lo muito bonito, irei passar o link para que vocês leiam outros textos dela. Acharia errado se eu usasse o texto e não dissesse quem foi o autor da obra. Gostaria que os portadores se expressassem mais, imaginava que iria ter mais participações nessa seção do blog. Mas, enfim, sintam-se a vontade de me mandaram o material que quiserem, que postarei aqui no blog. Pode ser pintura, poesia, textos, música, etc. É só me enviarem um email para juliocesar-555@hotmail.com com o assunto blog. Acho que existe uma relação muito grande entre a esquizofrenia e a arte e gostaria de colocar isso no blog. A pessoa pode ter outro transtorno mental também, não precisa necessariamente ter esquizofrenia para ter espaço aqui no blog.
   Os links para acessarem os textos da autora são esses aqui:
-luso poemas






As vozes assolam a minha mente

Penetram mais e mais, murmurando ordens insanas

Já não distingo a realidade
Quero controla-las, mas não consigo
Ecoam no meu cérebro aterradoras
Em delírio erróneo, o meu corpo alucinado se retrai
Serão seres sobrenaturais, fantasmas, o demo…?
Em delírio constante sou Deus, Jesus, Virgem Maria…
Desarticulo-me no pensamento expressivo
Misturam-se as palavras, sem coerência 
Transformando-se em pensamentos perturbadores
Perturbando meu funcionamento intelectual
Sinto na alma a deterioração prematura do meu cérebro
Sinto-me perdida, percepciono tudo e nada percepciono 
Rio-me estupidamente, reagindo 
À minha própria interpretação idiossincrásica da situação.
E tu choras, olhas para mim e não entendes
Eu continuo na minha insanidade mental
Amarrada ao delírio, às alucinações e à inanição cognitiva
Sofro, desesperadamente, perco o contacto com a realidade
O todo é irreal, ilusório e penetra no meu cérebro 
Deixando-me louca, amarfanhada e perdida 
Já nem sei quem sou, ajuda-me… compreende-me.




Dedico a todas as pessoas com esquizofrenia, que lutam tenazmente para se inserirem numa sociedade marginalista, atrofiada… e muitas já aprenderam a controlar os seus distúrbios, funcionando eficazmente 



Não os marginalizem amigos Lusos

Liliane Jardim 



Um comentário:

  1. lindo, as vezes me sinto como diz esse poema.... mas não sou portadora de esquizofrenia, pelo menos até agora

    ResponderExcluir